segunda-feira, 4 de julho de 2011

REFLEXÃO TEATRAL.....

O texto que segue é o prefácio do livro "O ponto de mudança", do diretor 
inglês Peter Brook, um dos mais importantes pontos de referência da cena  
contemporânea ocidental:


"Nunca acreditei em verdades únicas. Nem nas minhas, nem nas dos outros. 
Acredito que todas as escolas, todas as teorias podem ser úteis em algum 
lugar, num dado momento. Mas descobri que é impossível viver sem uma 
apaixonada e absoluta identificação com um ponto de vista.
No entanto, à medida que o tempo passa, e nós mudamos, e o mundo se 
modifica, os alvos variam e o ponto de vista se desloca. Num retrospecto de 
muitos anos de ensaios publicados e idéias proferidas em vários lugares, em 
tantas ocasiões diferentes, uma coisa me impressiona por sua consistência. 
Para que um ponto de vista seja útil, temos que assumi-lo totalmente e 
defendê-lo até a morte. Mas, ao mesmo tempo, uma voz interior nos sussura: 
"Não o leve muito a sério. Mantenha-o firmemente, abandone-o sem 
constrangimento." 



Nenhum comentário:

Postar um comentário